Ponto de Pauta

Atualizado às 06h30 - 24.09.19

Crescem gastos com segurança no transporte da Presidente

Postado as 14h02 | 13.04.2011

A "carona" oferecida pelo comandante do avião presidencial, Geraldo Corrêa de Lyra Júnior, à irmã de uma comissária, durante o voo da presidente Dilma para Natal, no carnaval, provocou reflexões sobre a segurança dos deslocamentos da primeira mandatária do País. Na prática, recursos não faltam.

No Orçamento Geral da União para 2011 existe verba de R$ 34,1 milhões para a ação de "Segurança de área e no transporte do Presidente da República em seus deslocamentos internos e externos". A verba está sob a responsabilidade do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), órgão ao qual compete a segurança da presidente, do vice-presidente, seus familiares e outras autoridades. O GSI realiza despesas relacionadas ao recebimento, planejamento e execução das missões presidenciais, além da manutenção e preparo dos recursos humanos e materiais do Sistema de Segurança Presidencial, inclusive descentralizando créditos para as organizações militares envolvidas.

Nos primeiros três meses de 2011 já foram gastos R$ 6,6 milhões com a segurança de Dilma Rousseff, Michel Temer, familiares e outras autoridades. No ano passado, no mesmo período, apenas R$ 3,5 milhões tinham sido desembolsados. Entre as despesas realizadas neste trimestre estão, por exemplo, diárias (R$ 739,7 milhões), passagens (R$ 548,6 milhões), locação de mão de obra (R$ 585,5 milhões) e aquisição de equipamentos (R$ 1.704,8 milhões). A despesa anual também vem crescendo. Em 2009 e 2010 foram desembolsados R$ 9,1 milhões e R$ 21,6 milhões, respectivamente (

 

veja tabela).

O cientista político Antonio Flávio Testa acredita que "A expectativa de prover mais segurança a chefe de Estado justifica esse aumento". Testa afirma que foram ampliados os investimentos em tecnologia e no aprimoramento dos serviços institucionais da Presidência da República. "O custo de manutenção de todo o aparato do Estado voltado para a segurança da presidente explica os valores crescentes", conclui.

Sobre o incidente no vôo de Dilma para Natal, em nota divulgada a pedido da própria presidente o GSI afirmou que "Houve um equívoco no processo de autorização de viagem da passageira em questão, que não fazia parte da comitiva da presidente da República". Apesar de admitir o erro o Palácio do Planalto afirma que, a segurança da presidente não foi afetada. "Todos os passageiros do vôo em questão foram previamente identificados e submetidos aos procedimentos usuais de segurança", diz a nota.

Por Aline Sales, do Contas Abertas


Copyright © 2019, Ponto de Pauta - Todos os direitos reservados